Castlevania II: Simon's Quest (NES)

domingo, 25 de janeiro de 2009 Postado por Azrael_I



Gênero: Arcade/Exploração


Fabricante: Konami


Lançamento:
1988


Jogadores: 1 player




E após um longo e tenebroso inverno, estou de volta! Dando um tempo na série de Phantasy Star, resolvi falar hoje de outra das minhas séries favoritas. E como o P.A. já falou do primeiro, vou falar do segundo jogo de uma das séries de maior sucesso dos games.
Na sequência direta de Castlevania, o jogador volta a encarnar o herói Simon Belmont, na eterna cruzada de sua família contra o mal de Drácula. Mas em vez de simplesmente invadir o castelo do Conde, como no primeiro jogo, agora será possível percorrer toda a Transilvânia em sua missão. A história se passa alguns anos depois do primeiro jogo; Simon descobriu que, quando destruiu Drácula, o vampirão havia conseguido lançar uma maldição no herói, e que em poucos dias ele iria morrer! Para evitar isso, Simon precisaria recolher todas as partes do corpo de Drácula e queimá-las nas ruínas de seu castelo. Mas isto não seria uma tarefa fácil, já que os seguidores do Conde espalharam os pedaços dele por todo o país! E lá vai Simon em busca dos pedaços do presunto, antes que seja tarde demais. Em seu caminho, além dos seguidores de Drácula, está um legítimo exército de monstros, ainda maior do que o do primeiro jogo. Felizmente, desta vez, Simon não estará limitado apenas a seu chicote e algumas poucas armas; é possível, no decorrer do jogo, ir evoluindo, trocando ou comprando novas armas. Além disso, até mesmo as partes do corpo de Drácula podem ser usadas como arma! Além disso, seu personagem sobe de nível à medida que vai combatendo os monstros, o que é uma mão na roda, principalmente nas dungeons.

Lançado dois anos depois do primeiro Castlevania(que foi lançado em 1986, no Japão, e um ano depois no Ocidente), este jogo contou com uma melhora gráfica substancial em relação ao primeiro. O visual de Simon está muito parecido com o da versão original de Castlevania, Vampire Killer(para MSX), mantendo inclusive as cores da versão original. Os gráficos estão bons(embora continuem inferiores aos do MSX), e agora o tempo faz o jogo alternar entre dia e noite; de dia, é possível conversar com as pessoas, comprar itens e curar os ferimentos nas igrejas. Já de noite, as cidades ficam infestadas de monstros, não dá para entrar nas casas(nem nas igrejas), além de os monstros ficarem mais resistentes, sendo necessário um esforço bem maior para enfrentá-los, embora seja possível acumular mais corações(o dinheiro do jogo) de noite do que de dia. Saber aproveitar as vantagens e desvantagens de cada período do dia é crucial no jogo. O único ponto falho na questão dos gráficos é que existem muitos cenários repetitivos(principalmente os das cidades), o que acaba tornando o jogo um pouco monótono.

Como não podia deixar de ser, o som também teve um belo upgrade. Toda a qualidade musical e sonora do primeiro jogo está aqui(off: fazendo uma chave, Castlevania foi o primeiro jogo do mundo em que o personagem tinha voz! Claro, era apenas um "Ungh" mas já serve pra entrar na história), mas muito melhor. As músicas estão ótimas, destacando a presença da bela Bloody Tears(que toca de dia na floresta), além de muitas outras que também viriam a marcar presença nos jogos subsequentes, como Vampire Killer, Simon's Theme e muitas outras. Os efeitos sonoros não tiveram muitas melhorias, embora tenham surgido novos, como o barulho de Simon caindo na água.A jogabilidade também foi bastante melhorada. Não é mais tão travada quanto a do primeiro jogo, embora ainda atrapalhe um pouco às vezes. A presença do menu no jogo é mais uma ajuda e tanto.

A maior dificuldade deste Castlevania é a mudança no esquema de jogo. Embora o primeiro Castlevania tenha sido um adventure linear(ou seja, uma fase seguida da outra), o segundo tentou voltar às suas raízes no MSX e virou um Arcade de exploração. Durante o jogo é possível(aliás, deve-se) percorrer várias e várias vezes o mesmo cenário, em busca de itens, pessoas, passagens secretas, armas, pistas etc. O jogador pode escolher por qual rota quer seguir seu jogo, mas tendo que repetir os cenários(as cidades, principalmente) para encontrar o caminho adequado. É extremamente difícil encontrar certos caminhos, ou mesmo pequenos itens; seguir as pistas que as pessoas nas cidades fornecem ajuda muito, neste ponto. Pode parecer estranho este esquema de jogo, à princípio, mas vale lembrar que, além de ser baseado no esquema do jogo original de MSX, ele foi nada mais nada menos do que a base para TODOS os Castlevanias modernos, a partir do aclamado Symphony of the Night para Playstation! Infelizmente, não existe mapa no jogo; para aqueles acostumados com os Castlevanias modernos, jogar este será um desafio e tanto,
já que achar as rotas é bem complicado(a menos claro que se usem Walktroughs). Outro ponto negativo no jogo é que existem apenas três míseros chefes no jogo inteiro, contando com o Drácula! Isto acaba tornando ele um pouco mais fácil do que poderia(ou DEVERIA) ser, mas pelo menos compensa a dificuldade da exploração. Outro detalhe que facilita e muito a vida do jogador é que este foi o primeiro Castlevania com Passwords(substituídas modernamente pelos Saves).
Castlevania II: Simon's Quest foi um bom jogo para sua época, mas que infelizmente não agradou tanto os fãs, na época. Todos esperavam um jogo mais linear, aos moldes do primeiro, mas a dificuldade da exloração acabou tornando este um jogo relativamente mal-sucedido. Mas nem de longe um fracasso! Este foi um dos jogos que mais trouxe inovações para a série, que passariam a ser utilizadas em todos os jogos contemporâneos; além do esquema Arcade de exploração, as lojas, os itens, o menu de itens, o esquema de evolução de nível do personagem, as armas extras, além de muitas e muitas outras mudanças, viriam a ser aproveitadas futuramente(por exemplo, o esquema de mudança de dia/noite foi usado nas versões para Nintendo 64). É como eu sempre digo, em Castlevania pouco se cria, tudo se copia.



NOTA FINAL: 8,6
CLÁSSICO É CLÁSSICO, NÃO SE DISCUTE. MAS ESTE ESCAPOU POR POUCO DE SER UM FIASCO. TEM SEU VALOR HISTÓRICO, É UM JOGO ATÉ DIVERTIDO, MAS ENTRE ESTE E O PRIMEIRO DA SÉRIE, PREFIRO JOGAR O PRIMEIRO.

Plataforma:


Comente com o Facebook: