Super Metroid (SNES)

segunda-feira, 22 de março de 2010 Postado por Tristan.ccm

Gênero: Ação / Plataforma


Fabricante: Intelligent Systems


Lançamento: 1994


Jogadores: 1 player



Uma das primeiras mulheres a estrelar um jogo (embora aquela armadura não deixasse sua beleza ser admirada), Samus Aran fez com que sua terceira aventura fosse um dos maiores sucessos do SNES. O motivo disso era o jogo não só ser bem-feito, mas também ser divertido, e muito!

A história do jogo era uma sequência direta de Metroid II, para Game Boy: após derrotar os Metroids em seu planeta natal, Samus levou a última larva de Metroid para ser estudada pelos cientistas da Federação Galáctica, mas ela acaba sendo roubada e levada para a colônia espacial Ceres. Samus parte para resgatá-la, mas no último instante o alienígena Ridley aparece e rouba a larva. Samus luta bravamente, mas Ridley ativa uma sequência de auto-destruição da colônia para fugir. Samus segue o dragão até o planeta Zebes, e passa a explorá-lo em busca da larva roubada.

A jogabilidade melhorou em relação aos primeiros jogos, com Samus podendo disparar em todas as direções (no Nintendinho ela não atirava na diagonal). A gama de armas aumentou: além do canhão acoplado ao braço, a caçadora de recompensas agora tem à sua disposição dois tipos de mísseis, dois tipos de bombas, um visor de raios X e um tipo de chicote elétrico usado para se pendurar em algumas paredes. Todos esses upgrades estão escondidos pelas seis partes do planeta (Crateria, Norfair, Wecred Ship, Brinstar, Maridia e Tourian), que podem ser explorados à vontade, basta ter o ítem e/ou arma necessários para entrar nas salas. Não é necessário pegar todos os ítens para zerar o jogo, mas quanto mais coisas você encontrar, mais poderosa Samus vai ficar e menos tensa vai ser sua aventura.

Quando aceitei a missão de resenhar esse jogo, confesso que não o conhecia (mais um jogaço que eu nunca pude jogar na infância). Só tinha jogado o primeiro jogo da série, o do NES, e não tinha gostado. Quando joguei Super Metroid me surpreendi com sua jogabilidade perfeita, sua exploração, sua trilha sonora que casava com o momento do jogo e seu alto grau de desafio. Junte isso a uma história bem feita e a um final surpreendente e temos um clássico, um jogo que não fica devendo a game nenhum e que merece lugar em qualquer lista de grandes jogos do SNES.


NOTA FINAL: 9,8
SUPER METROID ALAVANCOU A CARREIRA DE SAMUS. SEM SOMBRA DE DÚVIDAS, O MELHOR GAME EM 2D DA SÉRIE METROID.
Plataforma:


Comente com o Facebook: