Chrono Trigger (SNES)

domingo, 1 de junho de 2008 Postado por Tristan.ccm

Gênero: RPG


Fabricante: Square


Lançamento: 1995


Jogadores: 1 player



Chrono Trigger é um RPG por turnos que nunca teve uma continuação. Falando assim, pode até parecer mais um RPG como muitos que existem aí aos montes. Razões pra gente pensar isso não faltam: armas que são melhoradas ao longo do jogo, tema medieval, nível subindo à medida que os adversários vão sendo derrotados... enfim, tudo indicava que a Square tinha rezado a cartilha dos RPGs e pronto. Porém, analizar o jogo por aí é cometer um erro grandioso, pois Chrono Trigger é bem mais do que isso.

Apesar dessa "cartilha" básica regendo o jogo, a Square lhe deu uma história muito bem feita, e que é tão bem desenvolvida durante o jogo que tornou uma continuação quase desnecessária. Afinal, parafraseando Monteiro Lobato, o vilão "morre muito bem morrido" no final do game. Os personagens também são bem escolhidos: Crono, um criador de gatos; Lucca, uma cientista; Marle, a princesa geniosa; Robo, um robô;...

Peraí! Robô? Mas o tema não era medieval? É, pessoal, é aí que Chrono Trigger inovou, pois os personagens viajavam no tempo para resolver os enigmas do jogo, um tema que mostrou casar muito bem com RPG (alguém aí lembrou de Zelda Ocarina of Time?). A história toda começa quando uma das invenções de Lucca joga Marle no passado. Ela e Crono voltam no tempo para resgatá-la. Ao voltar para o presente, outro acidente os joga no futuro, onde eles descobrem que um monstro chamado Lavos destruiu o mundo em 1999. Eles decidem, então, viajar pelo tempo para descobrir como impedir a catástrofe.

O jogo tem momentos de humor, romance e drama, além de ter jogabilidade fácil. O sistema de batalha é o clássico "por turnos", mas você vê os inimigos e pode evitá-los se não quiser ou não puder entrar em combate, uma ótima mistura de Zelda com Final Fantasy. Os gráficos são bons, com personagens bem mais expressivos que os da maioria dos RPGs da época (a cara da Marle quando fica irritada é um sarro!). A trilha sonora é um capítulo à parte, fica até difícil acreditar que o jogo é do SNES tamanha a qualidade do som, apesar de nenhuma música ser falada. E ainda por cima tem diversos finais diferentes, que mudam conforme você faz ou deixa de fazer alguma coisa no jogo.

O jogo é tão bom que a Square o relançou para o PSone, com o nome de Chrono Cross. As mudanças se resumiam a algumas animações em CG no lugas das animações simplesinhas do SNES. O resto era tão bom que não precisava mudar. Afinal, não se muda time que está ganhando. E é por isso que eu recomendo esse jogo: um RPG da velha escola, sem segredos pra quem manja e fácil pra quem não conhece, onde você pode rir, se emocionar e, principalmente, se divertir muito. Chrono Trigger é a prova de que um jogo não precisa reinventar a roda para se tornar um clássico.



NOTA FINAL: 9,8
APESAR DE NÃO TER DEIXADO DESCENDENTES, CHRONO TRIGGER É UM CLÁSSICO IMPERDÍVEL. MESMO SE SUA PRAIA NÃO FOR RPG, VALE A PENA SE AVENTURAR NELE. SERÃO HORAS INESQUECÍVEIS.

Plataforma:


Comente com o Facebook: