A Era dos Videogames (Parte 1)

sexta-feira, 27 de junho de 2008 Postado por P.A.

1958 - Surgia o primeiro (?) game eletrônico!

Há muitas contradições sobre qual foi realmente o primeiro game eletrônico criado, mas o fato é que o famoso “tênis para dois” foi o primeiro game eletrônico da história, de acordo com a grande maioria de historiadores! Criado pelo físico Willy Higinbotham (foto ao lado) para atrair visitantes ao Brookhaven National Laboratories, no estado de Nova Iorque. Naquela época, em plena Guerra Fria, era praxe haver um dia para a população visitar as instalações do laboratório, e ver todo o poderio nuclear do Tio Sam. Willy, preocupado em não deixar ninguém bocejando em sua visita ao complexo, criou em suas horas vagas um jogo de tênis bastante simples, que era mostrado em um osciloscópio e processado por um computador analógico. Foi um sucesso, e durante meses, era a atração mais cobiçada pelo público...

O jogo jamais foi patenteado, pois Willy acreditava que aquilo não era nada demais, além de um pequeno passatempo! Willy Higinbotham, considerado o pai dos games, morreu em 10 de novembro de 1995 sem ganhar um centavo sequer pelo seu invento. Infelizmente, Willy será lembrado como um dos que ajudou a construir a terrível Bomba Atômica e não como o gênio que deu um pontapé pra era dos videogames...

Acima, o "tênis para dois"!


1961 - Spacewar!


A mais de 40 anos atrás um grupo de estudantes do Massachusetts Institute of Technology (MIT) testava Spacewar! Jogo criado em um enorme computador que custava milhões de dólares e que foi desenvolvido por Steve “Slug” Russel, com o auxílio de seus colegas Dan Edwards, Alan Kotok, Peter Sampson e Martin Graetz, inspirados pelos livros de ficção científica de E.E. “Doc” Smith e pela corrida espacial, foco principal naquela época!

O programa foi inteiramente desenvolvido no DEC PDP-1, um daqueles antigos computadores que ocupavam uma mesa inteira. Nessa época não existiam computadores caseiros, e os criadores do jogo não pensavam em ganhar dinheiro com a invenção, afinal, quem compraria um aparelho de 120 mil dólares para brincar com um simples game operado com um punhado de teclas?

Spacewar! Só foi concluído em 1962. O jogo ocupava 2KB e Russel assim como Willy jamais ganhou um centavo por sua criação...


Spacewar! só foi concluído em 1962.


1972 - O primeiro console caseiro: Magnavox Odyssey

Ralph Baer hoje é considerado o pai dos consoles! Ele trabalhou em várias empresas de TV e Rádio mas foi na Sander Associates que ele teve uma idéia que mudaria pra sempre a vida de todos! Vendo que havia milhões de televisores no mundo todo que não faziam nada mais do que sintonizar 2 ou 3 canais locais, ele resolveu então criar um console caseiro que poderia ser ligado à qualquer televisor, dando assim, uma nova utilidade as TVs!
Com o auxílio de alguns colegas da Sander Associates, ele lançou um esboço de sua idéia, o “chasing game”, um rudimentar jogo de ping-pong onde dois quadrados controlados pelo jogador poderiam se movimentar pela tela. Baer então patenteou seu produto e em 1968 criou o protótipo do videogame conhecido como Brown Box!

Ralph Baer tratou de mostrar seu protótipo para grandes empresas americanas do ramo, e foi a Magnavox que lançou no mercado o primeiro console caseiro: Odyssey 100.

Magnavox Odyssey 100, o pioneiro!


E foi em 1972 que o Odyssey chegou às prateleiras americanas, fabricado pela Magnavox e fruto do protótipo de Baer; o Brown Box. O Odyssey 100 vinha com placas de circuito impresso externas onde eram gravados os jogos. Inicialmente, foram ofertados 12 títulos, sendo que a grande maioria de esportes!

Vários acessórios vinham com o console, inclusive um rifle! Folhas de papel pra anotar os placares também faziam parte do pacote, já que os chips de memória eram muito caros! Pra se ter uma idéia do poder gráfico do console, se é que podemos chamar de poder; os usuários eram obrigados a colocar cartões plásticos na tela da TV pra deixar os jogos coloridos, por exemplo, para simular o campo do jogo, colocava-se o plásticos verde (tecnologia de ponta).


Aqui podemos ver exemplos dos cartões plásticos (ou overlays) que eram colocados na tela da TV para deixar o jogos mais "bonitos"!


No ano de lançamento, o Odyssey 100 vendeu 100 mil unidades, mas suas vendas foram caindo, já que as pessoas achavam o console muito obsoleto, mesmo para os padrões daquela época.


1974 – Nolan Bushnell e o viciante Pong!

Nolan Bushnell, jovem estudante de engenharia eletrônica e fascinado por Spacewar! concluí seus estudos na faculdade e vai trabalhar numa empresa como pesquisador. Com a ajuda de um amigo, desenvolveu uma versão arcade para Spacewar! chamada Computer Space (foto ao lado), surgia o primeiro fliperama da história! Mas seu alto preço fez com que as vendas não fossem muito além...

Mas Bushnell não se deu por satisfeito, e em 1972, juntamente com seu amigo Ted Dabney, quis fundar uma firma específica para desenvolver jogos eletrônicos. Mas por azar (ou destino), o estranho nome escolhido "Syzygy" já pertencia a uma construtora. O jeito foi inventar outro nome, e eles escolheram Atari, que era a palavra que um jogador dizia ao encurralar o oponente no obscuro jogo de tabuleiro "GO", de origem japonesa (no Xadrez, por exemplo, estava palavra é a popular "Check"; em português, Cheque Mate). O logotipo do Atari era a representação artística do monte Fujiama.

Bushnell então pediu para seu amigo, Al Alcorn, que criasse um jogo para um fliperama; basicamente um jogo simples, no estilo de ping-pong. Em três dias Alcorn criou o Pong! O jogo rapidamente ganhou carisma dos jogadores, porém por ser fliperama, era grande e ninguém possuía um desses em casa (pelo menos eu acho)...

O Pong foi um sucesso! Sua jogabilidade era uma "cópia" do Table Tennis lançado para Odyssey 100.


Foi então, que em 1974 Bushnell apresentou Pong doméstico, vendido pelas lojas Sears como Tele-games, que atingiu 150 mil unidades vendidas! Começava a corrida ao mercado dos consoles caseiros e jogos eletrônicos!


Fim da primeira parte... Clique Aqui e confira a 2ª Parte!


Comente com o Facebook: