Mega Man X (SNES)

domingo, 11 de janeiro de 2009 Postado por Tristan.ccm

Gênero: Plataforma


Fabricante: Capcom


Lançamento: 1993


Jogadores: 1 player


Esse jogo marca o início de uma das melhores sagas dos games, uma série de jogos que chegou até a geração atual (o sexto game foi lançado para PS2 há pouco mais de um ano), e para mim é um dos melhores jogos do robô azul da Capcom. Uma história cativante, aliada a uma trilha sonora bem elaborada e aos gráficos mais animais que o SNES podia fazer.

O mais interessante é que o enredo do jogo não é contado durante a partida. Para trazê-lo a vocês eu tive que procurá-lo na Internet. Talvez ele viesse no manual do jogo, mas isso eu não sei dizer no momento. No entanto, é uma história digna de filme: um laboratório secreto é desenterrado por um cientista, e nele descobre-se que o Dr. Thomas Light (criador do Mega Man original) havia criado um protótipo de robô capaz de pensar e tomar decisões. Batizado de X, ele foi trancado numa cápsula que testaria seus sistemas, pois o Dr. Light temia que X desenvolvesse uma índole má e não tinha muito mais tempo de vida para testá-lo. Com base nesse protótipo, foram criados robôs com a mesma capacidade para servir à humanidade, os Mavericks, mas eles se voltaram contra os humanos. Decidiu-se, então, criar uma nova raça de robôs inteligentes batizada de Reploids para caçar os Mavericks. Eles venceram, mas o que não se sabia era que a rebeldia dos Mavericks se devia a um vírus que invadia seus sistemas. O líder dos Reploids, Sigma, acabou sendo infectado, e decidiu que os robôs deveriam tomar o poder. Assim, os Reploids também se voltaram contra a humanidade. A única esperança ficou nas mãos dos dois únicos robôs que ainda eram leais aos humanos: Zero (um Reploid renegado) e X, o protótipo que deu origem a todos os outros.

Você comanda X, que deve passar por 13 estágios cheios de inimigos até encontrar Sigma e destruí-lo. Em alguns momentos, Zero aparece para dar dicas ou te salvar. Os chefes das fases são todos membros da tropa de Sigma (oito, no total), e um diferencial do game é o fato de você poder escolher qual deles enfrentar, na ordem que quiser. Outra coisa interessante, padrão dos jogos de Mega Man, é que ele adquire a arma dos chefões derrotados. Isso facilita muito, pois geralmente a arma de um é muito eficiente contra outro. Com o tempo você descobre que uma certa ordem é mais vantajosa do que outra.

As músicas e efeitos sonoros estão muito bem feitos, e os gráficos foram caprichados. X responde imediatamente a seus comandos, o que gera uma jogabilidade tremendamente intuitiva (ou seja, detonados são desnecessários aqui). Sem contar que o jogo tem surpresas escondidas, como itens e upgrades para seu robô, que estimulam o replay do jogo. Mega Man X é só o início de uma das melhores sagas de um personagem nos games (ainda não entendo porque a Capcom não a estendeu ainda mais). Na minha opinião, apenas a série Metal Slug consegue ser tão divertida quanto Mega Man quando o assunto é andar no estilo plataforma atirando em tudo e todos. Se essa é a sua praia, pode mergulhar de cabeça: Mega Man X é diversão garantida.



NOTA FINAL: 9,7
O INÍCIO DA SAGA X NÃO PODIA TER SIDO MELHOR. UM DOS MELHORES JOGOS DO MEGA MAN.

Plataforma:


Comente com o Facebook: