Top 20 - Os Melhores jogos do Mega Drive

segunda-feira, 1 de junho de 2009 Postado por Azrael_I

Muito bem, agora é a minha vez de colocar minha cabeça na guilhotina... Sei que muita gente vai achar que eu escolhi poucos jogos pra esse top e, claro, provavelmente vão discordar da minha classificação, mas vou explicar meus critérios de avaliação: 1) Qualidade; afinal, um jogo pra ser Top tem que ser BOM mesmo. 2) Importância; quais jogos foram relevantes na história do Mega. 3) Diversão; pois no fim das contas, um jogo tem que servir pelo menos pra isso. Eu também incluiria mais um critério, ou seja, o meu gosto pessoal, quais jogos influenciaram na minha vida; Mega Drive foi um videogame que fez boa parte da minha infância (e da adolescência também), pra mim é praticamente uma honra poder eleger os vinte melhores jogos do console, e fazer esse top me fez ficar mais nostálgico do que nunca, ou seja, não dá pra ficar completamente imparcial nesta resenha (mas vou tentar). Claro, eu PODERIA ter colocado jogos como Mortal Kombat, mas eu preferi fazer um top com os jogos que foram exclusivos do Mega (ainda que as versões de Mega em geral matassem a pau as versões para Snes), da mesma forma que o P.A. e o Tristan; mas que fique claro que neste quesito eu não conto o fato dos jogos terem sido relançados para consoles modernos como Virtual Console (senão, quase nenhum entrava no top!) e nem os jogos que, embora possuam correlatos, são diferentes das versões do Mega. Pois é, sintam-se à vontade para me criticar (e me xingar também, se acharem que eu falei merda), mas taí o meu top:



20º Lugar - Castle of Illusion


Tão divertido e tão importante pra história do Drivo quanto Quackshot, Castle of Illusion chegou a ser um dos jogos mais populares do Mega (em parte graças ao carisma do camundongo com a voz do Walt Disney). Gráficos muito bonitos e jogabilidade legal (este foi o jogo que inaugurou o infame "ataque de bunda" do Mickey), este jogo logo conquistou os corações dos fãs e foi um dos mais vendidos na história do Mega Drive. Por que então o vigésimo lugar? Simplesmente porque, apesar da receptividade, em termos de engine este jogo perde feio para a versão de Master System (que é bem diferente, embora tenha o mesmo nome, e só por isso este jogo está no top) e até para sua continuação não-oficial, Fantasia.


19º Lugar - Ayrton Senna's Super Monaco GP 2

Outro grande marco na história do Mega, e ainda por cima estrelado por nosso eterno campeão Ayrton Senna, era um jogo deveras divertido... na sua época. Não dá pra comparar Super Monaco GP 2 com jogos posteriores em termos de jogabilidade (embora não seja ruim, muito pelo contrário), mas sua parte gráfica e sua importância histórica são altas demais para deixar este jogo de fora do Top. Além disso, nada como jogar com um jogo que o próprio campeão ajudou a fazer! É o único game multiplataforma (sem diferenças consideráveis) que mereceu entrar na lista, mas isto apenas por suas versões para Master e Game Gear serem muito inferiores.


18º Lugar - Jurassic Park

Divertido, embora fosse meio repetitivo, este jogo tem muitas coisas interessantes (como as armas tranquilizantes, os barcos e os quebra-cabeças) e é BEM melhor do que o filme. Quer coisa mais divertida do que jogar com um Velociraptor e devorar os malditos humanos que te atacam? Bwah-ha-ha-ha!


17º Lugar - El Viento

O primeiro de uma série de três jogos (os outros dois são Ernest Evans e Annet Again), este jogo é um dos mais interessantes feitos para o Mega, com uma história boa como só japonês sabe fazer. Uma pena que suas continuações, embora boas, não estejam à altura, e a jogabilidade deste seja meio estranha.


16º Lugar - Comix Zone

Quem nunca sonhou em ser um super-herói de gibi? Melhor ainda se for no próprio gibi! Comix Zone é um jogo que realmente impressiona, não só por seus belos gráficos, mas por sua jogabilidade pra lá de cinematográfica e uma interatividade única com os cenários, com vários caminhos diferentes para se chegar no fim das fases. Mais detalhes na resenha do jogo, já feita aqui no blog.


15º Lugar - Toe Jam & Earl

A história todos já sabem (afinal, o jogo também já foi resenhado aqui no Museum), Toe Jam & Earl são dois aliens descolados que naufragaram com sua nave espacial na Terra, e agora precisam recolher os pedaços dela pra voltar pra casa. Este jogo surpreende não só pelos belos gráficos, mas principalmente pela dificuldade elevada e a interatividade no modo de dois jogadores (o que, aliás, era uma das principais características de quase todos os jogos de Mega). Este jogo é considerado por muitos um dos maiores clássicos do bom e velho Drivo, e só não ganhou uma nota maior porque, da minha lista, foi o jogo que eu MENOS joguei, mas sua importância para a história do Mega é indiscutível e, portanto, vai pra lista.


14º Lugar - Disney's Alladin

Devido à quantidade de versões, este jogo escapou por muito pouco de não ir para o Top! Ok, fizeram versões para Master e Snes deste jogo, mas elas são bem diferentes da versão para Mega, e só por isso Alladin entra pro Top (as demais versões, para DOS, Game Boy etc. foram lançadas bem depois da versão de Mega, a original). Sem dúvida, o Alladin de Mega Drive é a melhor versão deste game, bem diferente das versões para Master e Snes, com uma arte simplesmente sublime, animação bem feita e músicas boas, além de ser bem engraçado em algumas partes, mas a parte que mais se destaca é a jogabilidade. As fases em que se "pilota" o tapete são as melhores.


13º Lugar - Splatterhouse 2

Uma das minhas maiores dificuldades nesse top foi porque, dos jogos lançados em série pro Mega, TODOS são bons. E Splatterhouse é um bom exemplo disso. Escolher um único jogo da série é ser injusto com os demais, mas eu tive que fazer isto, para o top não acabar ficando muito chato/tendencioso. Splatterhouse é talvez um dos jogos mais marcantes do Drivo. Muito adiantado para a sua época, ele foi também um dos mais censurados no Ocidente, não só pelo seu horror gore em doses cavalares, mas também pela referência não-oficial a filmes como Sexta-Feira 13 e Massacre da Serra Elétrica. Em termos de Engine, o 3 ganha de longe do 2, e ainda por cima tem vários finais diferentes, mas escolhi o 2 para o Top por sua importância histórica, uma vez que este foi o jogo que trouxe a série de volta da cova, além de ter sido mais bem recebido pelo respeitável público do que o 3. Sendo assim, o 3 (e todos os jogos de séries que não estiverem presentes no top) fica com menção honrosa.


12º Lugar - Rambo 3

Este jogo foi um dos que mais marcou a minha infância... Rambo 3 é um dos jogos mais legais do Mega, o melhor expoente da velha patifaria "um contra um milhão" (by Baú de Jogos), com ótimos gráficos (inclusive imagens digitalizadas), um modo em Primeira Pessoa (nos chefes) e jogabilidade divertosa; pra variar, a versão do Drivo é diferente das demais (mete a faca nelas!) e garante ao Rambo seu lugar aqui. Chumbo neles, Rambo!


11º Lugar - Quackshot

Quinze anos atrás, se me perguntassem qual era o meu jogo favorito, sem dúvida eu responderia: Quackshot (embora eu saiba que existem jogos melhores, era o que eu mais gostava de jogar). Também já resenhado por aqui, este jogo conta com uma jogabilidade divertidíssima e ótimos gráficos, mas com um desafio bem razoável; é um dos poucos jogos que agradou a todos, adultos e crianças. Mais que um clássico, um marco na história do Drivo.


10º Lugar - Road Rash 3

E eis aqui uma das melhores séries do Mega! Os três jogos da série Road Rash para Mega usam praticamente a mesma engine e jogabilidade, as mudanças são poucas, é verdade, mas isso não diminui em nada a qualidade dos três. Com a possibilidade de roubar as armas de seus oponentes, de ter que fugir da polícia e até mesmo de poder acabar uma corrida a pé, estes jogos são praticamente precursores de jogos modernos como Driver e GTA, e contam ainda com um divertido modo versus (a partir do 2), que claro permite competir contra um amigo (e dar porrada nele). Mas coloco o Road Rash 3 na lista por dois motivos que o diferenciam dos dois primeiros jogos da série: as cutscenes hilárias (quando uma fase acaba) e as ótimas músicas, em especial uma versão punk da Tarantela!


9º Lugar - Golden Axe 2

E por falar em séries boas... se existe um jogo que realmente pode ser chamado de clássico do Mega Drive, este é Golden Axe. Lançado na primeira geração de jogos do Mega, o primeiro jogo na verdade é uma versão alternativa do Golden Axe de Arcade, com uma fase e um chefe a mais (e só por isso não entrou na lista). Golden Axe foi o primeiro de três jogos lançados para Mega (novamente, para Arcade, existiu mais um que nunca chegou ao Drivo), foi um dos grandes responsáveis por promover a popularização do console, na já iniciada guerra Sega x Nintendo, e fez as vendas do Mega Drive decolarem, deixando o Nes 8 Bits para trás. Mas Golden Axe foi apenas o precursor de muitos Beat n'Up que viriam por aí, provando a capacidade do Mega para jogos deste tipo. Seu sucessor direto, Golden Axe 2, acabou sendo ainda mais popular entre os que já eram fãs do Drivo, mas o Golden Axe 3 não fez tanto sucesso assim, infelizmente. O primeiro jogo só não entra então para a lista por ser multiplataforma, embora mereça por seu pioneirismo e, claro, qualidade, ficando então o 2 como representante no Top.


8º Lugar - Kid Chameleon

Com um desafio avassalador, jogabilidade única e uma centena de fases pra te enlouquecer, Kid Chameleon é um dos jogos mais aclamados (e difíceis) do Mega Drive. E só não ganha uma posição melhor porque eu joguei bem pouco...


7º Lugar - X-men 2: Clone Wars

A MELHOR adaptação dos X-men feita para um videogame! Continuação direta de X-men, também para Mega (que também merecia estar na lista), este jogo trouxe tudo que havia de bom no jogo anterior e muito mais coisas, como mais oponentes, melhor jogabilidade, mais personagens jogáveis (inclusive o Magneto!) e fases mais desafiadoras, muito mais do que um adventure normal. Baseado no período dos X-men em que eles enfrentam a Falange, é um dos jogos mais fiéis a um gibi já lançados, e um dos mais divertidos também.


6º Lugar - Castlevania Bloodlines

Alguém tinha dúvida que eu ia colocar esse aqui? Quando a Sega conseguiu quebrar o embargo da Nintendo a Konami logo lançou dois de seus maiores maiores clássicos (Castlevania e Contra) para o Drivo. Castlevania Bloodlines se mostrou uma versão muito superior (em termos de jogabilidade e gráficos) aos jogos anteriores, exceto na história, que desagradou a muitos fãs dos Belmonts, uma vez que o personagem principal do jogo não é um Belmont (mais detalhes sobre isso na resenha deste jogo). Castlevania Bloodlines chegou a ser premiado na época de seu lançamento, e inclusive ganhou uma continuação direta para Nintendo DS. Não apenas por quebrar o monopólio da Nintendo em relação às empresas produtoras de games, mas por ser um Castlevania tão bom (e um dos mais difíceis), este jogo merece entrar para a lista. Uma pena que as versões Ocidentais foram censuradas.


5º Lugar - Contra: The Hard Corps

Se Castlevania entrou na lista, eu não podia deixar Contra de fora! Não é querendo puxar a sardinha pra brasa do Mega, mas este é, sem dúvida, o melhor jogo da série Contra. Muitas armas, muitos inimigos, muitas fases, muitos finais e músicas mais do que Hardcore! E além dos fatores que me fizeram incluir Castlevania na lista, este ainda conta com um modo 2 Players, como um bom Contra deve ter.


4º Lugar - The Revenge of Shinobi

Outro clássico dinossauro do Drivo, também grande responsável pela popularização do Mega e, obviamente com duas ótimas continuações (embora nenhuma delas esteja à altura do original), a saga de Joe Musashi é até hoje um grande cult entre os fãs, além de contar com uma trilha sonora composta pelo mestre Yuzo Koshiro, que compôs todas as músicas BOAS do Mega Drive.


3º Lugar - Phantasy Star 4

Eu já disse isso uma vez, mas volto a dizer: o Mega teve poucos RPGs. Mas os que foram lançados para o console se sobressaem em termos de gráfico, jogabilidade e história, e Phantasy Star 4 é sem dúvida o melhor jogo desta série. Uma curiosidade é que, dos quatro jogos da série original, este foi o único que não recebeu tradução para o Português. E, dos três lançados pro Drivo, na minha opinião, é o único que merece entrar pro Top (o 2 não merece pelos motivos que expliquei muito tempo atrás na resenha dele, e o 3, bem, ainda pretendo resenhar essa bomba).


2º Lugar - Streets of Rage 2

E mais uma vez, a questão de qual jogo escolher para pôr no top. Sinceramente, por mim, os três jogos da série Streets of Rage mereciam estar no top, e eu mesmo gosto mais do 3 do que do 2. Minha escolha foi baseada não só na popularidade mas justamente nas inovações em cima da série; Streets of Rage foi a primeira BOA alternativa para quem queria poder jogar Beat n'Up (briga de rua) num console, uma vez que as versões caseiras de Final Fight não valiam o cartucho em que eram feitas. os gráficos, a dificuldade, a jogabilidade e principalmente, as músicas muito bem orquestradas por Yuzo Koshiro deram a Streets of Rage o lugar que ele merecia no coração dos fãs do Drivo. E quando ninguém achava que poderia melhorar mais, veio Streets of Rage 2 com gráficos ainda melhores e a sempre bem vinda qualidade sonora como só o bom e velho Yuzo poderia fazer. Streets of Rage 3, por sua vez, veio com uma melhora considerável na jogabilidade, com o retorno de finais alternativos (como no primeiro jogo), mas com uma leve redução na qualidade da música e na dificuldade, além de sofrer com muitas alterações na versão americana em relação à versão japonesa. Entretanto, dos três, Streets of rage 2 foi o que se tornou o mais popular; ele ganhou algumas versões para Master e Game Gear com severas diferenças mas mesmo assim, portanto, é o representante da série no top.


1º Lugar - Sonic the Hedgehog 3 & Knucles

Não é possível fazer um Top de Mega Drive sem incluir ele, o carro-chefe da Sega, o personagem mais popular do Drivo e o único que chegou a bater de frente com o Mario! Mas que hoje, infelizmente, divide com o antigo rival um jogo pra lá de meia-boca, além de protagonizar poucos jogos bons. Quando Sonic surgiu no cenário mundial, ele ascendeu em popularidade de forma tão rápida quanto seu nome; durante muito tempo a guerra Sega vs Nintendo foi liderada pelos mascotes oficiais de ambas as companhias. Sonic ganhou dezenas de jogos para todos os consoles da Sega, até para o já quase esquecido Master System, passando pelo portátil Game Gear, pelo Saturn e até pelo finado Dreamcast, Sonic gerou inúmeras vendas de consoles para a Sega, além de brinquedos, gibis, parafernálias e até mesmo séries animadas, a popularidade do ouriço azul é tanta que mesmo hoje, quando a Sega encerrou a produção de consoles para se dedicar exclusivamente a criar jogos, jogos do Sonic são lançados para videogames da antiga rival, como Game Boy Advanced, Nintendo DS e Wii! Mas os fãs são unânimes em aceitar que o ponto mais alto de Sonic foi mesmo no Mega Drive, onde o ouriço nasceu e se consolidou. Os quatro jogos da série principal, Sonic, Sonic 2, Sonic 3 e Sonic & Knuckles eram os principais motivos para alguém investir em um Mega Drive, e com razão. Cada jogo lançado era sempre uma inovação maior do que o outro, tanto na parte gráfica quanto na jogabilidade e no som, mas mais do que tudo, na diversão. Quando o primeiro jogo foi lançado, mostrando o poder do console de 16 Bits, a Sega conseguiu pela primeira vez vencer a supremacia do Nes 8 Bits, fazendo uma verdadeira multidão de gamers correrem às lojas em busca do console e do jogo. Por causa desse sucesso que foram lançadas as versões para Master e Game Gear, numa ótima estratégia comercial da Sega. E justamente isto fez a Nintendo apressar o lançamento do Super Nintendo, equilibrando a disputa (às vezes perdendo, às vezes ganhando). Em resumo: se tanto o Mega quanto o Snes foram o que foram em sua época, tudo isto se deve ao Sonic, e graças a isto os gamers tiveram acesso a jogos cada vez melhores na guerra que rolou. Sonic 2 veio com numa jogabilidade ainda melhor, além do surgimento do eterno parceiro de Sonic, Tails, e o novo poder de Sonic, ou seja, Super Sonic. E então, quando todos achavam que não podia melhorar ainda mais, surgiu Sonic 3, com mais uma melhora na jogabilidade (como controlar o vôo de Tails), mais um companheiro para Sonic (Knuckles), mais poderes, além de melhoras gráficas e sonoras consideráveis, mostrando o poder TOTAL do Mega Drive e de seu processador; mas havia mais! Ainda no mesmo ano foi lançado Sonic & Knuckles, com a mesma Engine do Sonic 3, e com a possibilidade de se fundirem os dois jogos criando um jogo ainda maior (além de poder fundir Sonic & Knucles com Sonic e Sonic 2 tb)! Sonic 3 & Knuckles foi o responsável por novamente equilibrar a disputa Sega X Nintendo, uma vez que a Sega vinha apanhando da rival devido a sucessivos fracassos (como o malfadado 32x). Infelizmente, Sonic & Knuckles foi também um marco importante: no mesmo ano em que foi lançado surgiu o Playstation, que logo viria a acabar com a guerra e com a era dos jogos em cartuchos e, embora jogos ainda viessem a ser lançados para o Mega até tempos recentes, o console perdeu terreno para a mídia em CD! Sonic 3 & Knucles entra para a lista então como o último grande sucesso de Sonic lançado para o Mega Drive, e como o jogo que melhor mostrou a capacidade do bom e velho Drivo em sua glória.


MENÇÕES HONROSAS

Shinning Force

Quando consulto listas de discussão sobre os melhores jogos do Mega, Shinning Force quase sempre está entre os mais queridos; entretanto, eu lamentavelmente nunca joguei Shinning Force (mas pretendo!) e, portanto, prefiro não arriscar colocá-lo em algum lugar no Top. Fica então na Menção Honrosa.


Battletoads

Este foi o jogo que mais chorei pra não pôr no top... quem me conhece daqui do Museum sabe que sou um fanático por Battletoads e, por mim, ele merecia estar entre os três primeiros. Mas, infelizmente, este é um dos jogos que não entrou no top por ter sido lançado para várias plataformas (ok, nem tantas assim, só Nes e Amiga, sem contar outras versões para Arcade, Master e Snes) e, embora fosse levemente inferior ao do Nes, suas músicas eram melhores. Fica também na menção honrosa, então.


Gunstar Heroes

A mesma coisa que Shinning Force, apenas recentemente cheguei a jogar mais este clássico e eu quase pus este jogo no lugar de Contra, uma vez que ele me lembrou MUITO Metal Slug.


E-Swat

Fiquei muito em dúvida: coloco este no top? Não, apesar da boa jogabilidade e do desafio considerável, E-Swat fica na menção honrosa por também ter sido multiplataforma.


Columns

Faço questão de colocar este jogo aqui. O melhor Puzzle de Mega Drive merecia um destaque no Top, mas também é multiplataforma e, portanto, fica apenas na menção honrosa.


Pit-Fighter

Esta foi a SEGUNDA melhor versão deste jogo, só perdendo para a de Arcade, e dando surra de pica mole na de Snes! As músicas da versão Drivo são ainda melhores do que as do Arcade e este jogo só não entrou no top justamente por ter sido lançado para várias plataformas.


Rock N'Roll Racing

Com uma música a mais e jogabilidade melhor que do Snes, este tinha tudo para entrar no top... só não entrou também por ser multiplataforma. Mas dos multiplataforma, este é o que mais merecia!


Landstalker: The Treasures of King Nole

O Mega Drive teve poucos RPGs, já disse isso e repito MAIS UMA VEZ... Neste jogo muito bem feito, você joga com um garoto elfo que, com a ajuda de uma fadinha, vai atrás de um tesouro e de salvar uma garota... epa! Já não ouvi algo assim em outro lugar? Pode até ser, mas acreditem, as semelhanças deste jogo com Zelda: Ocarina of the Time páram por aqui (não se esqueçam que este jogo foi lançado muito antes de Zelda do 64). Este jogo escapou por muito pouco de entrar no Top, e só não entrou porque, infelizmente, não é tão famoso quanto Kid Chameleon.


Ecco The Dolphin

Ah, que belos gráficos... que músicas boas... que tranquilidade... que chatice. Ecco foi o único jogo da Sega a vender mais cópias do que Sonic, mas não entra no top por sua jogabiliruindade pérvola e suas fases extremamente repetitivas. Sério, as primeiras cinco fases são praticamente cópias umas das outras! Ah, e não entra também porque é multiplataforma.


Haviam muito mais jogos que eu queria comentar, mas tive que parar senão o meu top ia ocupar uma página inteira... muitos jogos eu deixei de fora pelos mesmos motivos da maioria aqui: multiplataforma (Mortal Kombat, After Burner, Eartworm Jim, Boxing Legends of The Ring, James Pond, Lemmings, Lost Vikings, Out Run, Rocket Knight Adventures, Rolling Thunder, Samurai Shodown, Maximum Carnage, Cool Spot, Strider, Valis, Desert/Jungle/Urban Stryke, True Lies), por eu não ter jogado (The Immortal, Exile, Red Zone Alert), ou mesmo por outros motivos (Ristar, E-Swat, Landstalker, Ghostbusters). Isto não diminui NADA a qualidade destes jogos, e por isso os menciono aqui... é só pedirem que poderemos resenhá-los ao longo do tempo, nas resenhas normais do Museum (ou mesmo em outros Tops). Acreditem se puderem, eu ia fazer um Top 10, mas ao ver a quantidade de jogos que ficaram de fora eu TIVE que fazer um Top 20! Eu não me importo, por mim faria um Top 50 ou mesmo 100 (nosso bom Drivo merece!) mas ninguém teria saco pra ler tudo isso. Espero que me perdoem pelos jogos que acabaram ficando de fora (ou que não ficaram na posição de acordo com o gosto de cada um) e mais uma vez, atendendo a pedidos, poderei resenhar qualquer um destes jogos seja do top, seja das menções (exceto os que não joguei, claro).
Plataforma:


Comente com o Facebook: