Os Jogos (quase) Esquecidos no Tempo (4)

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010 Postado por Azrael_I

ESPECIAL: Jogos de Anime e Mangá - Parte 2

É Nóis na Fita!!! Depois de um longo tempo volto a postar, e de quebra ressuscito uma das minhas séries favoritas do Blog... vamos ao primeiro post de 2010 (e o meu primeiro post com o novo visual... parabéns pelo bom trabalho, S.P.!).


Tenchi Muyo (Snes)











Tenchi Muyo chegou a passar na Band, na mesma época que Dragon Ball (alguém aí lembra da Kira?); o jogo de RPG tem uma história que não existe no anime (mas não sei se existe no mangá). A jogabilidade é bem diferente da maioria dos RPGs, com o esquema de batalhas alternadas em turnos. Outra diferença é a quantidade de personagens disponíveis (cada um com habilidades, poderes, nível de força, velocidade e movimentação diferentes); quase todos os personagens da série estão aqui. Pena que só é possível usar até quatro personagens por batalha. Os níveis estão divididos em várias fases, cada uma com caminhos e inimigos diferentes; antes de cada fase, o jogador escolhe quatro personagens que irão lutar na fase, e eles devem ficar na fase até acabar com TODOS os inimigos (o detalhe é que, se demorar, vão surgindo cada vez mais inimigos); a estratégia de como usar seus personagens é que faz toda a diferença neste jogo, que às vezes lembra mais um jogo de xadrez do que RPG. Apesar dos excelentes gráficos e de ser bem divertido (mas meio monótono, em algumas partes, já que é preciso repetir algumas vezes as fases para aumentar o nível e encontrar itens e até mesmo outros personagens escondidos), a dificuldade deste jogo é bem baixa para um RPG; é fácil subir de nível, e os golpes ficam bem apelões. De todos os jogos de anime, este foi o único que, além da tradução para Inglês, também achei uma tradução para Português.


Tetsuan Atom/Astro Boy Omega Factor (GBA)








Nem todo mundo sabe, mas este é o personagem no qual Megaman foi baseado (inclusive no braço que vira arma). O jogo pra Snes eu achei bem fraco, mas o jogo de GBA é uma DILIÇA! Conta toda a história do anime de 2003 (com devidas modificações); a jogabilidade não lembra muito Megaman, é na verdade bem mais dinâmica e menos monótona que a série Megaman Zero. Apesar do visual meio infantil, o jogo é muito divertido, e bastante difícil (principalmente na parte interativa).


Dragon Ball Final Bout (Playstation)











Nas versões para Playstation, Dragon Ball herdou muito da jogabilidade dos jogos de Snes, principalmente neste ótimo jogo. Com visual poligonal (parecido com os da série Street Fighter EX), Dragon Ball Final Bout conta uma história baseada no final da Série Z e primeira parte da série GT do anime, com personagens de ambas as séries. Mas a melhor parte do jogo é sem dúvida a abertura animada, uma das mais bem feitas para um game!


Inuyasha (GBA)








Não, o jogo de GBA não está à altura de Inuyasha... trata-se de um jogo DE TABULEIRO, com uma jogabilidade que lembra bastante o joguinho do Popeye (inclusive com uma roleta pra decidir quantas casas os personagens andam) e elementos de RPG. Mesmo assim, vale a jogada, tanto pela diversão quanto pelas cutscenes que contam a história (só pra quem sabe japonês, claro).


Ranma 1/2 Akanekodan (Snes)











Depois de Dragon Ball, Ranma foi o anime/mangá que mais teve jogos lançados para 16 Bits. A maioria são jogos de luta (que copiam o velho esquema Street Fighter), com poucos personagens, mas o meu destaque vai mesmo para o RPG de Ranma (que parece até mesmo ser um Final Fantasy hackeado, mas com gráficos melhores). Com seis personagens disponíveis, o jogo é bastante fiel ao anime (inclusive com o humor típico da série e as transformações), com um desafio e quebra-cabeças bem interessantes, embora tenha inimigos meio bizarros o tempo todo, já que são baseados no folclore japonês e chinês.


Naruto Ninja Council (GBA)








A popularidade do ninja galego atualmente só aumenta no Brasil (em grande parte graças a Sílvio Santos), e a maioria de seus jogos não decepciona. Meu destaque vai para o jogo Naruto Ninja Council para GBA, que conta toda a história do anime (pra lá de mastigada), desde o início até o começo da saga do Exame Chuunin. A jogabilidade é bem interessante, principalmente no sistema de jutsus (destaque para a forma de vencer o Kiba, igualzinho ao anime), apesar dos gráficos e das músicas não serem lá essas coisas pro nível do GBA.


Yuyu Hakusho (Mega Drive)










Yuyu é uma série que fez muito sucesso no Brasil (para alguns, mais até do que Cavaleiros e Dragon Ball), em parte graças à personalidade do protagonista Yusuke. Pra variar, foi também uma das que teve mais jogos (quase tantos quanto Ranma 1/2), e inclusive um jogo recentemente lançado para Playstation 2. Na versão para Mega Drive (lançada quase no fim do auge do console, em 1994), temos um jogo de luta que é mais do que outro "clone de Street Fighter", principalmente com a possibilidade de lutas com mais de dois oponentes. Com vozes digitalizadas (coisa rara pro Mega) e gráficos de arrasar, a história deste jogo segue desde a saga do Torneio à saga de Sensui.


Bleach Advanced (GBA)








Um dos meus mangás/animes preferidos da atualidade (Naruto nem chega perto, eu garanto!), Bleach é um dos animes que mais tem ganhado jogos ultimamente. O jogo para GBA usa um esquema de batalhas bastante parecido com o de Zenki 2, mas a quantidade de personagens disponíveis (após zerar o jogo) chega a ser ridícula de tão alta; são mais de trinta personagens disponíveis! Bankai!


Macross: Scrambled Valkirye (Snes)











Macross é um anime bem antigo (chegou a passar na Rede Globo, MUITOS anos atrás), e seu jogo é tão velho quanto ele. Embora seja baseado num anime de Mecha (robô gigante), o jogo é na verdade um shoot'n up de nave. A grande diferença é que seu robô se transforma em três formas, mas fora isso, o desafio é bem grande. A maior curiosidade deste jogo é que ele ganhou uma tradução pro Inglês ainda no Japão... mas essa tradução é tão ruim que virou piada nos States! Isso explica o pouco sucesso deste jogo...


Street Fighter II: The Animated Movie (Saturn)












O Saturn teve ótimos jogos, mas a maioria deles foi abafada pelo sucesso do concorrente Playstation. Um dos mais interessantes foi justamente este jogo da fraquia Street Fighter, que diferente da maioria dos jogos da série tem POUCA luta (e que depois ganhou uma versão para Playstation). Baseado no filme animado em que a Chun Li faz topless, este jogo é na verdade um Interactive Movie (filme interativo), em que o jogador controla um dos ciborgues espiões de Bison (sim, um jogo em que a gente joga com um vilão!) e deve observar os eventos do filme, analisando as lutas e copiando os golpes, além de treinar numa espécie de sala de treino; de acordo com os golpes e cenas que vai vendo, o jogador habilita mais e mais cenas extras que não estão no filme original. No final do jogo é que vem finalmente uma luta: controlando o robô, devemos enfrentar Ryu! Se vencer, vem o Bad Ending (cena inédita), e se perder vem o Good Ending (que acontece no filme original). Um jogo extremamente inovador... mas que não teve muito sucesso, apesar de ter sido traduzido.

________________________________________________________

Existem muito mais jogos baseados em animes e mangás, mas nestas duas partes da série dos jogos quase desconhecidos eu resolvi colocar apenas os que têm uma tradução ou que são possíveis de jogar mesmo sem uma (e mesmo assim deixei alguns de fora, como Area 88). Jogos como 3X3 Eyes, Nage Libre e muitos outros foram deixados de fora simplesmente porque são praticamente impossíveis de jogar sem tradução. Mesmo assim, esta série irá continuar, e como sempre aceito pedidos de resenhas. Nóis na Fita!


Comente com o Facebook: