Earthworm Jim (Mega Drive / SNES)

domingo, 30 de setembro de 2012 Postado por P.A.




Gênero: Plataforma


Fabricante: Shiny Entertainment / Playmates


Lançamento: 1994


Jogadores: 1 player







Na época dos 8-16 bits várias empresas tentaram repetir o sucesso de Mario e Sonic, buscando um mascote que conseguisse conquistar o coração dos jogadores. Claro, era uma tarefa muito difícil conquistar os jogadores da maneira que os dois conquistaram, mas vários ícones surgiram, e mesmo que não tenham conseguido repetir o sucesso dos dois, pelo menos conseguiram permanecer com carinho na memória de muitos de nós. Earthworm Jim é um deles, e por mais que não tenha feito o sucesso dos rivais, será sempre lembrado por seu jeito bizarro e bem humorado.

Lançamento de vacas! WTF?
A história do jogo é tão bizarra quanto o personagem principal. Jim era uma minhoca comum, que rastejava, comia e defecava terra e fugia dos corvos que tentavam devorá-lo. Enquanto Jim vivia sua vidinha de minhoca, bem longe dali - mais precisamente no espaço - um mercenário chamado Psy Crow foi cercado por um grupo de piratas espaciais enquanto transportava um ultra-high-tech-indestructible-super-space-cyber-suit criado pelo cientista Monkey-for-a-Head. Ele deveria entregar o super traje pra rainha Slug-for-a-Butt, pra que ela conquistasse o universo. Pra que mais seria, não é? Durante a perseguição o super traje acaba caindo na Terra... 
Nosso herói anelídeo estava fugindo de corvos e se deparou com o traje e resolveu entrar nele pra escapar, mas ele não sabia que ao entrar em contato com o traje, seu corpo seria "fundido" com o super traje, tornando-os um só, com habilidades incríveis e uma pistola automática poderosa. Porém, os mal-feitores vão caçar nosso herói até o fim do universo, pois eles desejam tomar posse do traje novamente. E como não poderia faltar, Jim descobre que a rainha malvada tem uma irmã gêmea chamada What's-her-Name que também está na mira dos vilões... Jim então tem que manter o super traje longe de mãos erradas e ainda salvar a princesa, afinal, é um jogo dos anos 90, tem que ter uma donzela em perigo. O incrível dos anos 90 era exatamente isso: as histórias eram non senses, mas ninguém se importava, pois não precisa ter sentido, precisava ser divertido. Uma pena que o jogo não mostra a história do jogo; você já começa com o super traje combatendo os inimigos sem saber o por quê. 

Os gráficos do jogo são excelentes. Os cenários são muito bem feitos e animados, e não é só no cenário por onde você percorre. O fundo também é animado e muito bem feito, cheio de detalhes! Os sprites também são muito bem feitos, principalmente do Jim, que é muito bem animado. As caretas e coisas que ele faz são engraçadas, confiram algumas delas abaixo...





Mas como eu disse, não é somente Jim, todas as animações dos personagens que estão muito boas. Uma coisa curiosa é que na versão de Mega Drive, a tela parece ser mais ampla, o que torna a visão da fase maior e melhor. Já no Super Nintendo a câmera é mais fechada no personagem o que diminui a visão, mas deixa o sprite do personagem maior na tela. De certo modo, eu gostei mais da versão do Mega Drive por ter uma visão mais ampla do cenário.
Uma coisa a se levar em consideração é que as fases não tem conexão nenhuma uma com a outra. Num primeiro momento você está num ferro velho, logo em seguida no inferno, depois embaixo do mar e logo em seguida saltando de bungee jump e por aí vai... Todas sempre intercaladas por corridas espaciais contra Psy Crow.   

As músicas seguem o padrão cômico do jogo e são muito legais, sempre ajudando a manter o espírito engraçado e bizarro do jogo. Assim como as músicas, os efeitos sonoros também são escrachos; destacando sempre Jim, com sua voz esquisita e engraçada. O chip de som do Mega Drive é um pouco pior que o do SNES e alguns sons são meio chiados, como é de praxe no console; por isso, nesse quesito o Super Nintendo leva vantagem. 

A jogabilidade tem seus altos e baixos. Controlar Jim é bem simples e você aprende tudo logo na primeira fase, que serve pra que você conheça todas as habilidades do personagem. Jim pode atirar em oito direções diferentes e escalar plataformas. Ele também pode girar sua cabeça por alguns segundos como se fosse um helicóptero... Até aqui é tudo tranquilo. O problema começa com uma de suas habilidades, que é usar sua própria cabeça de minhoca pra se pendurar em ganchos espalhados pelas fases. Acertar o gancho é bem complicado e torna-se irritante facilmente. Quando só tem um gancho pra se balançar até que não é difícil, mas quando é preciso se pendurar em dois ou mais ganchos em sequência, a tarefa fica complicada. Outro defeito do jogo é que só há dois tipos de tiros pra sua arma. Ou ela é uma espécia de metralhadora ou uma pistola com um tiro super potente; e além da baixa variedade de armamento você não pode alternar entre eles. Quando você pegar o tiro mais forte, terá que gastá-lo em qualquer inimigo que encontrar pela frente, não podendo ser poupado pra uma hora mais crítica. Tem botões sobrando no controle, poderiam ter colocado um botão pra alternar entre as armas.

O ponto alto do jogo sem dúvidas é seu humor, com piadas e besteiras em tudo. A começar pelo nome dos personagens já citados no começo dessa análise, assim também como o nome das fases e os inimigos que você encontra nelas. Corvos, cães raivosos, advogados (é sério, só que não),  gatos marombados, gosmas que saltam de bungee jump, vacas que devem ser lançadas pro espaço e tudo de mais bizarro que se possa imaginar. 
Earthworm Jim apresenta o característico sistema que é visto em jogos do gênero de plataforma, mas também há diversificação pelas fases... Como já citado, entre as fases sempre tem uma corrida contra Psy Crow; há também uma parte da terceira fase onde você deve controlar uma espécie de submarino pra progredir - e é uma parte chata pra caralho, pois controlar o submarino é terrível. Há também a luta contra a gosma em pleno salto de bungee jump e muito mais, tudo pra não ficar apenas na parte de plataforma.

Earthworm Jim é um jogo bem difícil, sem um sistema de saves ou passwords, terminar o jogo é tarefa pra poucos. Isso porque o jogo é complicado, se tornando o famoso caso da tentativa e erro. Você vai morrer bastante, e certamente vai ter que jogar as primeiras fases mais vezes do que imagina. O fato do jogo ser divertido e cômico faz com que você sempre tente novamente, mas é claro que chega uma hora que você se cansa da tamanha dificuldade proposta pelo jogo.
Nos anos seguintes o jogo foi portado pra Game Boy, GBA, Game Gear e PC.



NOTA FINAL: 7,5
EARTHWORM JIM É ENGRAÇADO E DIVERTIDO; MAS APRESENTA UMA DIFICULDADE ELEVADA E QUE TE FARÁ PASSAR MUITO NERVOSO. NADA COMPARADO AO TENTAR SE BALANÇAR NOS GANCHOS USANDO SUA PRÓPRIA CABEÇA, HAJA PACIÊNCIA. POR ISSO, SÓ LHES DIGO UMA COISA: GROOOOOVYYYY!
Plataforma: ,


Comente com o Facebook: