Contra (NES)

domingo, 17 de agosto de 2008 Postado por P.A.



Gênero: Ação / Shooter


Fabricante: Konami


Lançamento: 1988


Jogadores: 1-2 players simultâneo





Contra é sem dúvidas uma série de grande sucesso, principalmente na época em que foi lançado! Muito influenciado por filmes que eram febre naquele tempo, como os filmes de Arnold Schwarzenegger e Rambo. Até os personagens são familiares, e que garoto não queria ser igual a um deles e sair por ae fuzilando todo mundo? E graças a sua ação do começo ao fim o jogo foi um sucesso absoluto!

No ano de 1957, um meteoro caiu numa ilha da América do Sul. 30 anos se passaram, e descobriram que o meteoro trouxe um alien consigo, chamado de Red Falcon! Ele planeja fazer um ataque ao nosso planeta para destruir toda a humanidade! Dois dos melhores soldados do planeta são chamados pra essa difícil missão, Scorpion e Mad Dog tem que se infiltrarem na ilha e acabar com a ameaça alienígena!

Contra possui uma jogabilidade muito simples! Andar, pular e atirar... E é claro, desviar de tudo e todos, pois você não tem coraçõeszinho de vida como em outro jogos, se encostarem em você, já era! Isso torna o jogo muito difícil, um dos mais difíceis que já joguei! O jogador conta com 4 tipos diferentes de armas e com 3 vidas iniciais e mais 3 continues, mesmo assim, o jogo é muito difícil!

Os gráficos são simples mas bem elaborados! Com cenários e inimigos bem detalhados, como os chefes, que podem ser inimigo gigantescos! O jogo ainda mostra dois tipos de visões diferentes, a lateral (da esquerda pra direita) e a traseira (onde é possível ter um visão quase em 3ª pessoa, focalizando tudo que está na frente do seu personagem).

As músicas são boas e empolgantes, como deveria ser num jogo cheio de ação! Os sons estão razoáveis, como os tiros e explosões, mas se encaixam bem.

Mas o que chama a atenção em Contra é que ele recebeu 3 versões "diferentes"! É isso mesmo, conhecido como Gryzor no Japão, Probotector na Europa e Contra nos EUA. Basicamente, o jogo é o mesmo, só que elas possuem algumas características que a diferenciam.

A versão européia é a que mais se diferencia das outras duas, porque ao invés de humanos matando aliens ou humanos, são robôs, matando robôs! Na Europa a idéia de humanos matarem humanos não foi bem aceita... Outra diferença fica no fim: em Contra os personagens fogem da ilha num helicóptero, já em Probotector num jato, o que fica meio sem sentido, já que não havia como pousar o jato na ilha!

Gryzor também tinha suas diferença quando era comparada com suas outras versões! A versão japonesa era muito melhor! Os cenários tinham mais vida e o jogo ainda conta com uma pequena abertura. Sem falar das animações entre as fases e um mapa que mostra onde você está antes de cada missão.

A explicação pra versão japonesa ser melhor é simples: muitos games lançados no Japão vinham com um chip interno que permitia um novo mapeamento do game, por isso a versão japonesa era superior, já que a versão americana utilizava apenas o chip do console!

Obs: o review foi feito por mim, mas essa parte que fala das 3 versões eu tirei daqui: NES ARCHIVE




NOTA FINAL: 9,0
UM CLÁSSICO DO NINTENDINHO, ACLAMADO POR MUITOS! BEM DIVERTIDO E SUPER DIFÍCIL, E AE VAI ENCARAR?



Plataforma:


Comente com o Facebook: