Consoles Cancelados (II)

quarta-feira, 22 de outubro de 2008 Postado por Tristan.ccm

Indrema L600, o grande vôo do pinguim!

A vontade da Indrema quando quis criar um console era democratizar o mundo dos games, que segundo eles estava dominado pelo triunvirato Sega-Nintendo-Sony. Logo, nada mais justo do que basear seu trabalho numa plataforma que todos pudessem usar. Por isso, eles decidiram utilizar o sistema opensource Linux para seu software, para que qualquer um que manjasse de programação pudesse criar um jogo para o console. Além disso, o L600 seria o primeiro console a apostar no DVD como mídia para seus jogos, o que lhe daria espaço de sobra para criar os melhores gráficos da época e, de quebra, o tornar uma central doméstica de entretenimento, reproduzindo músicas e até mesmo filmes. E tudo isso a um preço acessível, pois o fato de apostar no opensource o livrava dos royalties.




Eis aqui o Indrema L600 e seu originalíssimo joystick


Mas como é que uma idéia boa dessas foi acabar na gaveta? Bem, o que deveria ser o diferencial acabou se tornando o calcanhar de Aquiles do console. Pense bem: se o sistema operacional é de código livre, um software lançado para ele pode ser modificado à vontade, basta manjar de programação. Isso faz com que o trabalho de piratear um jogo seja brincadeira de criança, um verdadeiro pesadelo para as softhouses, que fugiram do L600. “Tudo bem, a gente se vira com os produtores independentes”, disse o pessoal da Indrema, mas quem disse que isso era boa idéia? Quem poderia garantir que aquele nerd que programa no PC da faculdade poderia criar algo que não fosse tosco e pudesse competir com Lara Croft, Mario e cia.? E como ganhar dinheiro produzindo jogos para o console, se o código poderia ser copiado, levemente modificado e relançado com outro nome por qualquer um?


Eis um emocionante jogo criado para o console: nele, você deslizava montanha abaixo no melhor estilo Mario 64. Esse pessoal da Indrema realmente é original pacas!


Após quase um ano fazendo barulho sem produzir nada que prestasse, ao saber que a Sony havia anunciado o sucessor do Playstation eles simplesmente disseram que o L600 não era páreo para o PS2 (que ainda nem existia) e cancelaram o projeto. Com uma dívida de 10 milhões de dólares adquirida durante o projeto e nenhum jogo produzido, a Indrema decretou falência. Se alguém precisava de uma prova de que pingüim não voa, talvez o L600 seja a resposta


Conhece outro console desses? Escreva pra gente!

No próximo post, a Sega entra na onda dos vaporwares com o Neptune. Não perca!


Comente com o Facebook: