Street Fighter II - The World Warriors (SNES)

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009 Postado por P.A.

Gênero: Luta


Fabricante: Capcom


Lançamento: 1992


Jogadores: 1-2 players



Momento "máquina do tempo":

Alguns anos antes, numa época onde esse gênero não era tão famoso e a criançada preferia jogar os inúmeros e divertidos beat'em ups, a Capcom lançou a primeira versão de Street Fighter pros arcades. Nela, você escolhia entre dois personagens (Ryu e Ken) e tinha que vencer diversos lutadores ao redor do globo pra mostrar que você era o lutador mais foda do mundo... É, histórinha meia boca mas deu certo, apesar do jogo ser terrível. Mas entre os jogos de luta, foi o jogo de mais sucesso da época, talvez porque os concorrentes do gênero na época eram ainda piores...

É verdade, o jogo era muito ruim mesmo! Os gráficos e os efeitos sonoros até que não, mas a jogabilidade era uma merda... Pra soltar "Hadoukens" ou "Shoryukens" era preciso ser muito ninja, tanto que é dito que eram golpes secretos e não magias comuns como atualmente! Além disso, o jogo tinha uma dificuldade absurda, o que não agradou muito e o game não fez o sucesso esperado pela Capcom. Depois de algumas idéias absurdas, como chamar Final Fight de "Street Fighter 1989", e de criar um "Street Fighter 2010" pro NES onde Ken era um cyborg e o jogo não tinha nada a ver com porra nenhuma, a Capcom finalmente lança em 1991 uma continuação: Street Fighter II, pros arcades e logo em 1992 convertido pro Super Nintendo.

Agora sim, a Capcom mandou bem no seu jogo! Uma das primeiras novidades vistas logo de cara, é a possibilidade de escolher entre 8 personagens diferentes, já que no primeiro jogo só era possível escolher entre Ryu e Ken, que eram praticamente iguais... Além de Ryu e Ken, temos E.Honda, o brasileiro Blanka, a gostosinha da Chun li, Zangief, Guile e Dhalsin.
A história ainda é a mesma ladainha do primeiro jogo e até pior, já que agora além de ficar viajando pra lá e pra cá pra derrotar os oponentes em seus respectivos países, você faz uma pausa vez ou outra, pra quebrar carros ou pilhas de tijolos sem motivo algum...














Após derrotar os sete inimigos em seus países, você partia pra luta contra os 4 chefes finais! Balrog o pugilista criado em homenagem a um certo lutador devorador de orelhas, Vega a bichona espanhola com garras iguais a do Wolwerine que pulava da grade do cenário e fudia com sua vida, Sagat que era o chefe final do primeiro game e finalmente M. Bison, que era chefe da Shadaloo e patrocinador do torneio (mas que torneio? pensei que era só sair lutado e mostrando o quão foda a gente era).

Como todos sabem, os nomes dos chefes foram trocados da versão Japonesa para a Americana. Se você não sabe, é porque morava numa caverna por todos esses anos, então irei te explicar:
No Japão, o pugilista se chamava M. Bison (no caso o M. de Mike que no caso Mike de Mike Tyson), o Espanhol é Balrog e o chefe final é o Vega!
Quando o jogo foi lançado na América, a Capcom de lá, ficou com medo de ser processada pelo Tyson e trocou os nomes para evitar futuras complicações.

Street Fighter II ficou por muito tempo como sendo o jogo mais vendido da Capcom, o que também mostra que o SNES teve uma baita vantagem na briga contra o Mega Drive, já que o console da Sega não possuia esse jogo! O que fez com quem estivesse em dúvida entre qual console comprar, escolhesse o SNES...

Outra melhoria do game em relação a sua primeira versão, eram os comandos que sem dúvida nenhuma foram melhorados e agora soltar magias não exigia que você fizesse um curso de longa distância. E cada personagem tinha suas habilidades especiais e diferentes, menos Ryu e Ken que ainda são iguais!

Os gráficos estão muito bons, mesmo sendo uma conversão e que tenha seus cortes em relação a versão original dos arcades, essa versão do SNES ficou muito boa! Cenários e as animações dos personagens estão fantásticas... E assim como os gráficos, os sons também tiveram seus cortes (mesmo que pequenos) e ainda sim, se mantiveram fantásticos. A trilha sonora do game é inesquecível e os efeitos sonoros como as magias ou as falas dos personagens se mantém num nível excelente!

TIGER ROBOCOP pra vocês!



NOTA FINAL: 8,6
A CAPCOM ACERTOU COM ESSE STREET FIGHTER, JÁ QUE O PRIMEIRO NÃO TINHA FEITO O SUCESSO ESPERADO. CORRIGINDO OS ERROS DO PASSADO, APESAR DE MANTER A MESMA HISTÓRIA!


Plataforma:


Comente com o Facebook: