Dragon Ball Z: Idainaru Dragon Ball Densetsu (PSX)

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010 Postado por P.A.


Gênero: Luta


Fabricante: Bandai


Lançamento: 1996


Jogadores: 1-2 players






Salve, salve guerreiros dessa nave mãe chamada Big Bro... Err, não! Num é isso não!
Fala galera, depois de algumas semanas de férias mais do que merecidas, estou de volta! Aposto que todos estavam morrendo de saudades...
Mas não se preocupem que agora voltei com tudo! E quem gostou dá um grito aí...
*som de grilos ao fundo*
...
Bem, deixando esse papo furado de lado, retornei com um review de um jogo de Dragon Ball que eu adorava jogar quando comprei meu Psone! Eu num vou repetir o nome porque já foi tenso demais pra colocar no título da postagem... Malditos xingamentos japoneses! Aqui esse DB é conhecido como Greatest Legend, creio eu, por motivos óbvios, assim que tentavam falar o nome original do jogo.

A história é a mesma de todos os duzentos e cinquenta e um jogos lançados de Dragon Ball! Sério, já foram lançados tanto jogos da série que fica até difícil não conhecer... Ou falam de quando Goku ainda era criança ou partem da parte do Nappa/Vegeta em diante. E nesse jogo, ficamos com a segunda opção indo de Nappa/Vegeta até Buu!

Os gráficos são bem legais, tanto dos personagens quanto dos cenários que até se quebram quando algum personagem colide com algo, como as famosas montanhas! Os cenários são em 3D e os sprites são em 2D e é possível identificar todos os personagens tranquilamente, mas eles não possuem uma textura no rosto! E o Kuririn que já nem tinha nariz, nesse jogo perdeu olhos e boca também... Assim como todos os outros personagens! Algumas explosões são bem toscas, mas as animações de batalha são bem legais...

As músicas são a pior parte do jogo, já que não são aquelas músicas famosas da série! São músicas diferentes, que nem chegam a ser tão chatas, mas também não são marcantes o que pode desapontar os fãs da série. Os efeitos sonoros como os golpes e poderes são competentes e as vozes em japonês também fazem bem seu papel....

A primeira coisa que chama a atenção nesse jogo é o sistema de batalhas, completamente diferente de tudo que nós estamos acostumados! Quando joguei pela primeira vez, achei estranho demais, mas foi só dar o tempo certo pra me familiarizar com os controles e eu passei a adorar esse jogo!
Os sprites dos personagens são pequenos e o cenário da batalha é enorme. Você pode lutar no chão ou no ar... Tem um espaço considerável de terreno pra sua movimentação, é quase ilimitado!
Além disso, você pode colocar três personagens de uma só vez numa batalha, assim como a máquina também pode colocar três, podendo ficar um combate 3x3! Obviamente você só controla um personagem (e a máquina controla seus outros dois parceiros), mas pode ficar alternando entre os três a hora que desejar... Caso aja um quarto personagem fora, você também pode fazer uma substituição, tirando um dos três pra colocar o que estava no banco de reservas! Porém, do mesmo modo que você só controla um personagem, você também só ataca um personagem inimigo... Não dá pra atacar todos ao mesmo tempo! Mas você também pode escolher quem você quer atacar e mudar a hora que desejar.
Dito isso, é preciso entender como funcionam os combates! No canto superior é possível ver a imagem dos personagens com uma barra verde e uma amarela... A verde representa o life do personagem e a amarela o KI, se o KI acabar ele fica cansado e vulnerável por alguns segundos, portanto sempre recarregue durante os combates! Se prestar bem atenção, vai perceber que o life de nenhum dos personagens muda conforme o combate segue... E é aí que entra a barra no canto inferior ao centro! Ela funciona como um medidor de combate, você e seu time são a cor azul e os adversários o vermelho... Quanto mais você bate no inimigo, mais a cor azul toma conta do medidor, e quanto mais apanha, mais a cor vermelha aumenta! Pra tirar life dos personagens, é preciso usar ataques especiais que só são lançados pelos personagens quando uma das barras se enche! Portanto se você bater no inimigo até encher a barra com azul, o personagem que você esta controlando irá usar um poder especial (Kame hame ha, Masenko, Makankosapo e por aí vai). Agora se a barra vermelha se encher o personagem que você estava controlando vai tomar um especial na fuça... Agora sim, o personagem atingido pelo golpe perdeu life! É preciso de 3-5 ataques especiais pra derrotar um personagem, e pra vencer a luta tem que derrotar todos os inimigos que estiverem ali.
Desnecessário dizer que alguns combates tornam-se maçantes e se prorrogam por tempo demais, fazendo com que o jogo fique um pouco chato! E com isso, dificilmente você tem motivação de passar mais de um combate por dia... Pelo menos eu só lutava uma vez e parava pra não enjoar, porque fica demais pra uma só jogada, mas vai de cada um...

O jogo ainda conta com um modo VS bem competente, e que te permite escolher diversos personagens assim que vai desbloqueando no modo história!
Além disso o jogo ainda tem um final diferente, que é chamado de final verdadeiro! Para fazer esse final verdadeiro, é preciso seguir corretamente diversos passos como na série, por exemplo: na luta contra Nappa, deixar Piccolo morrer pro Nappa e derrotá-lo com Goku! Dá um pouco de trabalho fazer tudo certinho, mas é um atratativo a mais pro jogo.


NOTA FINAL: 7,5
DRAGON BALL LEGENDS É O MELHOR JOGO DA SÉRIE LANÇADO PRA PLAYSTATION, CONTENDO UM SISTEMA DE LUTAS INOVADOR E INTERESSANTE, MAS QUE SE TORNA CANSATIVO DEPOIS DE CERTO TEMPO!
Plataforma:


Comente com o Facebook: