Silent Hill (PSX)

terça-feira, 4 de maio de 2010 Postado por P.A.


Gênero: Survival Horror


Fabricante: Konami


Lançamento: 1999


Jogadores: 1 player






Durante nossa vida gamer, sempre existem aqueles jogos que são venerados por muitos e que nós nunca nem sequer jogamos! Seja por falta de vontade ou por falta de oportunidade. E esse é meu caso com Silent Hill!

Apesar de adorar jogos de terror, nunca havia jogado à fundo esse grande clássico da Konami. Um grande motivo pra isso, é o fato do jogo não ser tão focado em sair atirando em coisas bizarras como outros jogos do gênero, como Resident Evil! Ou seja, é um jogo de mais raciocínio e suspense do que ação e sustos atrás de sustos, por isso, meu preconceito não me deixava jogar esse jogo por muito tempo!
O mesmo ocorre com Fatal Frame, onde controlamos menininhas idiotas que tem que tirar fotos de fantasmas... Putamerda, o jogo é muito bom no quesito MEDO, mas é péssimo e frustante controlar aquelas meninas. Eu preferio controlar alguém que saiba usar uma arma, mesmo sendo num jogo onde temos fantasmas. Afinal, se uma máquina fotográfica é útil, porque uma escopeta não seria?

Bem, mas estou fugindo do foco... Vamos falar da história de Silent Hill!
Você controla Harry Manson, um escritor que está levando sua filha Cheryl de apenas 7 anos, pra um passeio na agradável cidade de Silent Hill! Porém, eles sofrem um acidente na estrada e quando Harry acorda não encontra mais sua filha no carro e sai pra procurá-la pela cidade... Guiado por vultos, instintos e pistas que ele encontra pela cidade; ele tem que enfrentar criaturas e ainda tentar entender o que acontece nessa cidade, que fica numa escuridão total em diversos momentos! Ao mesmo tempo que procura por sua filha, se depara com moradores da cidade e vai descobrindo aos poucos que cada um deles está envolvido com os acontecimentos estranhos da cidade. Harry só pode contar consigo mesmo e com uma policial chama Cybil Bennet que também sofreu um acidente na pista e acordou na cidade!

Os gráficos deixam um pouco a desejar e é notável que o jogo envelheceu mal, mas se olharmos de uma maneira geral, eu arriscaria dizer que 80% dos jogos dessa geração envelheceram mal. Era uma época de transição do 2D pro 3D e muitos jogos eram quadradões até pra época, o que dirá agora!
Temos uma cidade inteira inteira pra andar e os detalhes são bem feitos, apesar das casas meio quadradas, no interior dos edifícios tudo é bem feito. Pena que o pior fica mesmo pro personagem principal que é completamente quadrado, mãos e pés principalmente. O jogo ainda conta com cut-scenes que são bem legais!

As músicas não são muito diversificadas mas se enquadram bem no clima de suspense e nos momentos chave do jogo... Os efeitos sonoros também cumprem seu papel dando o toque ideal ao clima do jogo, como gemidos e barulhos de inimigos e demais sons!

A jogabilidade é muito semelhante com Resident Evil, mas aqui podemos andar e atirar, pra delírio de absolutamente meia dúzia de jogadores que reclamam disso à troco de nada. Sinceramente, eu não vejo tanto problema nisso jogando RE! É óbvio que é bem melhor andar e atirar, mas não pode fazer isso não estraga em nada também. Mas diferente do concorrente, em Silent Hill, temos apenas três armas de fogo: a pistola básica, a escopeta útil e a espingarda. Além dessas temos armas como faca, cano, machado e martelo...
E aqui seu inventário é infinito, pode carregar quantos itens quiser! Uma coisa útil no jogo é o rádio que você pega logo no começo. Quando ele começar a chiar é sinal que tem inimigos por perto, e com isso você pode ficar preparado pro pior! É sem dúvidas um item muito útil.

Um grande defeito desse jogo é a câmera! Ela me irritou profundamente em diversos momentos; quando eu queria que ela me mostrasse o que tinha à minha frente, ela insistia em apenas mostrar o meu personagem e com isso, eu não conseguia ver o que tinha na minha frente e mesmo virando a câmera, ela voltava pra posição horrível de costume! Não sei se fizeram isso pra dar mais suspense, mas sinceramente não me deixou com medo e sim com raiva.

O jogo não é muito difícil nem muito longo, e pode ser terminado em algumas horas e facilmente dominado por jogadores mais experientes. Porém, o jogo tem cinco finais diferentes, sendo que quatro deles estão ligados as suas atitudes no decorrer do game e um quinto final diferente e que em nada tem a ver com o jogo!


NOTA FINAL: 8,5
UM JOGO QUE TEM UMA BOA JOGABILIDADE, QUE TEM UMA CÂMERA PÉSSIMA E QUE INFELIZMENTE ENVELHECEU MAL! MAS QUE TEM UMA HISTÓRIA COMPLEXA (E DE CERTO MODO ESTRANHA) E QUE CONSEGUE MANTER O CLIMA DE SUSPENSE IDEAL.
Plataforma:


Comente com o Facebook: