Shinobi (Master System)

domingo, 14 de agosto de 2011 Postado por Azrael_I

 
Gênero: Ação/Plataforma


Fabricante:
Sega


Lançamento:
1988


Jogadores:
1






"You failed"


Como eu disse na resenha de Shadow Dancer, a série Shinobi está para a Sega o que o Ninja Gaiden está para a Taito/Nintendo. Este game é uma conversão do Shinobi de Arcade, lançada no mesmo ano para o Master System e, embora não tenha (obviamente) os mesmos recursos gráficos e sonoros que a máquina, conseguiu superar o original em diversão; como eu disse em tópicos passados, não é um ou outro detalhe e sim o conjunto da obra que faz um bom game.

Entrada com o ninja vesgo de olhos azuis

A história é típica dos filmes de ninja (principalmente os lançados nos anos 80): o jogador controla o ninja Joe Musashi, que era uma criança fracote quando entrou no dojo do clã ninja Oboro, e através de prática extenuante e meditação, conseguiu se tornar o mais habilidoso e respeitado ninja de seu clã. Entretanto, o sindicato do crime Zeed, que deseja controlar o mundo, ataca os ninjas Oboro, matando seu mestre e sequestrando as crianças, e agora cabe a Musashi resgatar as crianças e acabar com Zeed. Esse roteiro pode até parecer manjado hoje em dia, mas pow, era a moda nos anos 80! Lançada um ano depois da versão de Arcade, a versão para Master System comprovou isso, pois logo se estabeleceu como um dos jogos mais queridos do console; para muitos fãs, Shinobi foi tão importante para o Master System quanto Sonic foi para Mega Drive e Zelda para o Nintendo 64, pois alavancou bastante as vendas do console.

Fase de Bônus: You Failed, you loser!

A parte gráfica é, obviamente, bem inferior à de Arcade; entretanto, com os limitados recursos gráficos do Master, até que a conversão ficou bem-feita (nem tão ruim quanto a de Vigilante, nem tão boa quanto a de Shadow Dancer). Vemos muitos detalhes nos cenários e nos personagens, é até possível indentificar que Musashi está sem máscara (a qual ele só viria a usar a partir de Revenge of Shinobi, para Mega), a única reclamação é que alguns sprites da versão original tiveram seu tamanho reduzido nesta versão de Master (obviamente, para o processador do console aguentar). De fato, apesar das mudanças, a conversão está muito boa. A parte sonora, por outro lado, não ficou tão boa. Verdade que os sons não chegam a ser irritantes, mas estão longe de serem bons. Além disso, existem poucas músicas. O negócio é torcer pra não morrer de tédio...

Ataque ninja traiçoeiro

Houveram mudanças drásticas na jogabilidade, em relação ao Arcade. Musashi pode andar, saltar, saltar para telas mais altas (nas versões seguintes, como Shadow Dancer, isto equivale a "pular pro outro lado da cerca" em algumas telas), atirar shurikens (que podem ser mudadas para facas, bombas e até tiros de pistola, de acordo com os power-ups) e atacar a curta distância (com socos, chutes, espadas, nunchakus etc., também de acordo com os power-ups). No Arcade, Shinobi era praticamente um Shoot n'Up, ou seja, atirar em tudo que se mexia na tela e desviar de tudo. Na versão de Master, cuja jogabilidade é bem mais travada (leia-se EMPEDRADA), é preciso muito mais estratégia, principalmente porque a cadência de tiros é bem baixa, para poder acertar os oponentes no momento certo e evitar ser atingido por eles. Além disso, foi adicionada uma barra de energia (lógico que não tinha no Arcade, para fazer os jogadores gastarem mais fichas...).

Enfrentando um helicóptero na bala

No Arcade, era obrigatório salvar todos os reféns de uma fase para prosseguir, enquanto que no Master isto não é mais obrigatório; por outro lado, no Master, cada refém salvo dá um item para o jogador: energia extra, pontos, power-ups nas armas... A única coisa que ficou ruim foram as magias: complicadas de usar e pouco eficientes, só se ganha uma magia nas fases de bônus (que foram muito bem convertidas, diga-se de passagem). Convém muito ter em mãos o manual do jogo para entender o símbolo e função de cada magia: para usá-las é preciso primeiro matar dez inimigos numa mesma fase (ou seja, não funciona nos chefes), segurar o botão de pulo e usar o botão de ataque.

Jutsu Clone das Sombras!

No ano seguinte, foi lançada uma versão para Nes 8-Bits, de longe muito inferior à de Master (talvez por ter sido lançada sem licença), com gráficos muito mais pobres e jogabilidade pra lá de piorada. Enfim, apesar de todos os defeitos, Shinobi para Master ainda é um bom jogo. Mesmo hoje em dia, muitos dizem que esta superou a versão de Arcade (pra quem tiver chance, convém jogar as duas e comparar), o que prova novamente que um bom jogo não depende de bons processadores, e sim do empenho dos programadores em fazê-lo um bom game. Uma pena que os programadores atuais não estudem mais o passado, e acabem se esquecendo que aquilo que os jogadores mais prezam num game não são gráficos, sons ou jogabilidade, e sim o conjunto da obra... e a diversão.

Homem-Aranha, o arquiinimigo do Shinobi







NOTA FINAL: 8,3
É INCONTESTÁVEL A IMPORTÂNCIA DESTE GAME PARA O MASTER, ASSIM COMO SUA QUALIDADE. QUALQUER UM QUE TENHA GOSTADO DE SHADOW DANCER DEVERIA AO MENOS EXPERIMENTAR ESTE GAME, UMA VEZ QUE O PRÓPRIO SHADOW DANCER É SUA SEQUÊNCIA ESPIRITUAL.
Plataforma:


Comente com o Facebook: