A evolução dos games - Jogos de Corrida

quinta-feira, 27 de agosto de 2009 Postado por Tristan.ccm

Desde que um tal de Karl Benz emendou um motor com uma carroça, carros fascinam o ser humano. Muitos de nós contamos os anos até os 18 só pra ter a chance de sair por aí motorizado. E, desde que o mundo conheceu as "carruagens sem cavalos", existiu a vontade de andar mais rápido do que os demais. Surgiram assim, de uma forma quase que mambembe, as corridas de automóveis. Com o surgimento dos games, máquinas que retratavam essas disputas logo apareceram, amenizando a vontade de guiar de quem ainda nem tinha altura pra enxergar por cima do volante. E, como sempre, os games de corrida começaram bem simples e evoluiram até chegar a cúmulos de realismo digital:

1- Enduro (Atari)




Clássico dos clássicos do Atari, Enduro era um jogo altamente viciante, e já trazia coisas que vemos em games da geração atual, como as mudanças climáticas durante a corrida que fodiam com a sua vida (atire o primeiro cartucho quem nunca bateu na fase da neblina). Era preciso ultrapassar uma quantidade absurda de retardatários nas mais variadas condições (neve, escuridão, etc.), pois na época não podíamos nos dar ao luxo de ter contadores de voltas ou da posição. Das tarefas titânicas da era Atari, essa sem dúvida era uma das mais prazerosas.

2- Ferrari Grand Prix Challenge (NES)




Um jogo que eu joguei muito no meu Dynavision, Ferrari era, como o nome deixa transparecer, um dos primeiros jogos a contar com a acessoria de uma equipe de Fórmula 1 em seu desenvolvimento. Além do mais, o jogo tinha as mesmas pistas da F1, com cenários que tentavam ser realistas (como os barquinhos em Mônaco ou os prédios em Interlagos). Além do mais, os pneus se desgastavam e vc tinha que trocá-los às vezes, o que te atrasava pra caramba. A única coisa chata era que a física do jogo era meio zoada (ainda não vi ninguém fazer o Grampo de Mônaco no drifting a 250km/h, que nem eu fazia jogando), mas num jogo do NES isso é perdoável.

3- Super Mario Kart (SNES)




Esse jogo divide com Road Rash a primazia de introduzir o conceito de "salve-se quem puder" nos games de corrida. Para ganhar, não bastava acelerar, era preciso atrapalhar os adversários de qualquer maneira. Apesar de ser visto inicialmente como um jogo caça-níqueis, tornou-se um dos maiores jogos da Nintendo, indispensável em qualquer plataforma da empresa.

4- Ayrton Senna's Super Monaco GP 2 (Mega Drive)




Falar de jogos de corrida sem citar esse seria um sacrilégio. Afinal, nunca antes um piloto de verdade havia participado do desenvolvimento de um game. Apesar dos defeitos que eu já citei no meu review do jogo, Senna fez com que esse game fosse exatamente como ele: o melhor de sua época.

5- Rock'n Roll Racing (SNES)




Esse jogo definiu uma verdadeira lei nos games de corrida: "Se você quer que o jogo seja bom, capriche na trilha sonora". Afinal, as batalhas sobre rodas e as derrapadas isométricas não seriam as mesmas sem os solos de guitarra ao fundo. Além disso, RRR foi um dos primeiros jogos a contar com um narrador humano, no caso o impagável Larry "SuperMouth" Huffman e seus comentários 100% comédias (The stage is set, and the green flag drops!)

6- Sega Rally (Saturn)




O malfadado console da Sega tinha a injusta tarefa de bater o PSX, e uma de suas armas era esse jogo, trazido direto dos arcades. Sega Rally retratava muito bem como são essas competições, inclusive com o navegador que ficava indicando o caminho (easy right, over jump, checkpoint, etc.). Some isso às derrapadas na terra e aos cenários bem desenhados e temos um jogo que só tinha de errado a plataforma onde rodava.

7- Ridge Racer (PSX/N64)




Playstation sem Ridge Racer não era Playstation. Um jogo bacana, com derrapagens fantásticas, um controle preciso e com carros que podiam não ser reais, mas te divertiam pacas. Ele também introduziu a mania de colocar gostosas em jogos de corrida, fazendo os marmanjos babarem com as curvas da modelo japonesa Reiko Nagase. Outra coisa legal era a alegria do narrador quando você estava chegando em primeiro. (OK, it's the last trench, keep goig!).

8- Gran Turismo (PSX)




Se Rock'n Roll Racing definiu que um bom jogo deveria ter uma boa trilha sonora, séries como Gran Turismo dizem que um bom game é aquele que reúne a maior quantidade possível de máquinas reais e que as mostra da forma mais realista possível. Aqui, temos mais de 100 para seu deleite, todas reproduzidas da forma mais fiel possível.

9- Need for Speed: Most Wanted (PS2/GameCube/Xbox 360)




Depois que foi lançado o filme Velozes e Furiosos, entrou na moda a onda de pegar um carro normal e modificá-lo para que ele vire um foguete, e os games não podiam ficar de fora. A série NFS entrou de cabeça na onda do Tuning com os dois primeiros jogos Underground, e com Most Wanted decidiu continuar nessa linha, mas trazendo de volta algo que marcou seus primeiros passos: as perseguições policiais. Um dos meus maiores momentos de pavor na frente de um jogo não foi jogando Resident Evil, mas sim ao ver que tinha quase vinte viaturas na minha cola, um monte de veículos civis no caminho pra atrapalhar, e tudo isso com aquela música de filme de suspense nos ouvidos. Mas o mais legal era o "efeito Matrix" que você podia usar pra fazer as manobras mais insanas!

10- Project Gotham Racing 4 (XBox 360)




PGR4 briga pelo título de melhor game de corrida da atualidade, mas tem uma ligação bem grande com o primeiro jogo desta postagem: mais de 20 anos depois de Enduro, voltamos a correr na neve, com tudo o que isso nos acarreta (escorregões, batidas, etc.). É claro, o jogo aproveita tudo o que já foi feito, como a ampla variedade de carros, as derrapadas, a trilha sonora, enfim, tudo o que os pilotos de sofá gostam. E é por isso que eu digo: os jogos mudam, mas não custa nada dar uma olhadinha por onde a gente já passou pra poder avançar com mais segurança. Pisar fundo é bom, mas o retrovisor também é importante.


Comente com o Facebook: